Obino

Testes para vacina contra dengue terão auxílio de voluntários no RS

anuncios - materia


Foto: Luiz Chaves

Foto: Luiz Chaves

Os testes para avaliar a eficácia da vacina contra a dengue desenvolvida em parceria entre o Instituto Butantan, órgão da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, e os Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos (NIH, na sigla em inglês) começaram na quarta-feira, 27. Os investimentos para o desenvolvimento da vacina são da ordem de R$ 300 milhões.

O Centro de Pesquisa Clínica do Hospital São Lucas, da PUCRS, será o único do sul do país a participar do estudo, que envolve 14 centros e 17 mil voluntários em todo o Brasil. O governador José Ivo Sartori acompanhou o chefe do Executivo paulista, Geraldo Alckmin, na visita que marcou o início das atividades no RS.

Sartori ressaltou a importância do trabalho científico do Hospital São Lucas, que se configura em um importante centro de referência. “Essa oportunidade, mesmo que seja singela, é uma oportunidade de valorização da pesquisa, do avanço científico e tecnológico para o bem da saúde”, afirmou, ressaltando que o estudo no Rio Grande do Sul terá apoio importante do voluntariado para o avanço do trabalho.

Conforme o governador Alckmin, o melhor caminho para o tratamento da dengue é a prevenção e, segundo ele, nada melhor que uma vacina tetravalente. “Com esta boa parceria, em menos de um ano vamos poder concluir o trabalho e todos os países tropicais e subtropicais terão a vacina à disposição”, explicou.

A aplicação em dose única em humanos é a terceira e última fase de validação da vacina, que tem apresentado excelentes resultados em testes feitos em diferentes partes do mundo. “Com os vírus vivos, a resposta imunológica tende a ser mais forte. Mas, como estão enfraquecidos, eles não têm potencial para provocar a doença. A vacina deve proteger contra os quatro sorotipos da dengue com uma única dose”, disse o diretor do Instituto Butantan, Jorge Kalil.

A visita foi acompanhada pelo vice-governador José Paulo Cairoli, pelos secretários João Gabbardo (Saúde) e Maria Helena Sartori (Políticas Sociais), além de deputados e da senadora Ana Amélia.

 

Avaliação de mecanismos imunológicos

O estudo no Hospital São Lucas é coordenado pela pesquisadora do Instituto de Pesquisas Biomédicas (IPB) e professora Cristina Bonorino, tendo como responsável clínico o chefe do Serviço de Infectologia do Hospital, Fabiano Ramos.

Além dos testes em voluntários, Porto Alegre participa de uma pesquisa sobre a resposta imune que a vacina gera no organismo, avaliando quais mecanismos imunológicos são acionados para gerar memória. Essa segunda análise será única no país e ocorre nos laboratórios de Imunologia Celular, do IPB, e de Imunologia do Estresse, da Faculdade de Biociências da PUCRS.

 

 

* Secom

 

Guilherme Motta

Comments are closed.