Passagem intermunicipal deve ficar 18,91% mais cara


 

Foto: Jean Pimentel/arquivo Diário

Passageiros de ônibus intermunicipais precisam pegar a calculadora, reavaliar seus gastos e se preparar para gastar mais nas viagens. As passagens de ônibus de longo percurso devem ficar 18,91% mais caras. Ainda não há prazo para que o reajuste entre em vigor.

O índice foi aprovado na terça-feira pela Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do Rio Grande do Sul (Agergs). Não se trata do reajuste anual, que é definido geralmente em outubro. Em 2017, o reajuste foi de 7,76%. Esse aumento de agora faz parte de uma revisão de tarifas, que não ocorria desde 2000. Por isso, o índice é tão grande.

O pedido da revisão foi feito pelas empresas de ônibus, por meio da Associação Rio-Grandense de Transporte Intermunicipal (RTI). As transportadoras alegam que esse índice recupera o aumento dos insumos dos últimos 18 anos. Isso inclui pneus, combustível e peças dos ônibus.

Segundo a RTI, as empresas vêm operando no negativo, pois o reajuste anual das passagens não seria suficiente para cobrir os gastos com a manutenção dos veículos. Os 18,91% valem para todas as linhas de longo percursos, em geral com distâncias superiores a 60 quilômetros. Nesse grupo, estão as viagens de Santa Maria para São Sepé, São Gabriel, Santiago e para Porto Alegre.

 

Os novos valores não foram definidos. Mas é possível fazer as contas*.

De Santa Maria para:

CIDADE VALOR ATUAL VALOR COM AUMENTO
Porto Alegre R$ 85,40 R$ 105,32
Ijuí R$ 55,80 R$ 68,81
Santa Rosa R$ 87,70 R$ 108,15
Santo Ângelo R$ 70,65 R$ 87,13
Passo Fundo R$ 89,40 R$ 110,25
São Sepé R$ 15,65 R$ 19,30
São Pedro R$ 10,25 R$ 12,64
Faxinal do Soturno R$ 13,10 R$ 16,15
Júlio de Castilhos R$ 18,95 R$ 23,37
Uruguaiana R$ 111,05 R$ 136,95

 

* Esses valores não são oficiais. Foram feitos com base no índice de 18,91%, aplicados sobre o preço da passagem com seguro em vigor ontem.

 

30% MENOS PASSAGEIROS EM SEIS ANOS

Ao mesmo tempo em que pedem o reajuste tarifário, as empresas de ônibus sabem que um aumento assim poderá representar queda na procura. Mas as transportadoras estão em uma encruzilhada.

Nos últimos seis anos, a RTI alega ter ocorrido redução média de 30% no número de passageiros. São clientes que estão utilizando aplicativos de transporte, a velha carona, ou mesmo preferem pagar um pouco mais para viajar de avião, onde há linhas disponíveis no Estado. É o caso de Santa Maria e Porto Alegre.

O índice aprovado pela Agergs vai, agora, para o Departamento Estadual de Estradas de Rodagem (Daer). Após chegar na autarquia, a proposta passa pelo Conselho de Tráfego para apreciação, podendo aprová-lo ou não. Por enquanto, o Daer não informa quando as novas tabelas irão vigorar.

O Daer informou, ontem, que ainda fará os cálculos sobre esse reajuste aprovado pela Agergs.

 

 

Fonte: Diário de Santa Maria