Obino

Saiba “Por Onde Anda” o sepeense Paulo Becker

O convidado de hoje do quadro “Por Onde Anda, Sepeense?” é o sepeense Paulo Becker.

Se você não mora mais em São Sepé e quer contar um pouco de sua história, pode participar do quadro, enviando e-mail para redacao@osepeense.com

 


Trajetória

Nasci em São Sepé, em 1957. Quando criança morei e estudei na escolinha rural da Comunidade Inferninho, lembro da professora Edí.

BECKER

Acompanhei meus pais quando abandonaram a roça e fomos morar na cidade, na chamada Vila das Flôres. Trabalhei no engenho de arroz dos Raguzzoni e estudei no Colégio Tiarajú e depois o Técnico Contábil no Madre Júlia. Quando José Maria de Souza Picada se elegeu prefeito, assumi a função de Técnico em Saneamento Básico.

Passei um período muito importante pra mim como locutor da Rádio Fundação Cotrisel, no início da sua instalação no parque de transmissão, no Tabuleiro.

Em 1982, casei-me com Ivaniza Souza Valter e juntos tocávamos na Banda do MAJU. Dois anos depois, separei-me da esposa e fui trabalhar em Santa Maria, onde fiz Jornalismo e ao final do curso fui para Santa Catarina. Logo em seguida mudei-me de “mala e cúia” para Mato Grosso e fiz a Faculdade de História e sempre trabalhando em rádio e televisão.

 

28 anos se passaram…

Separado da mulher com quem casei, 28 anos se passaram sem nem um contato, um telefonema sequer. Quiz o destino que vivêssemos outra vez este amor e ela largou tudo aí e há cinco anos mora comigo aqui em MT. Um reencontro espetacular, divino!

 

O que lhe motivou a sair de São Sepé?

Minha saída de São Sepé ocorreu por buscar novos horizontes, um pouco de decepção no matrimônio, abrir novas portas, coisas de um jovem pobre e com muitos desejos de conquistas, de querer, de aventura possivelmente.

 

Tem visitado a cidade?

Nestes 31 anos longe da ‘terrinha’ fui duas vezes apenas na cidade. A saudade judiou um pouco lá no começo… Agora este sentimento tem outro significado para mim, pois estou num estado que me deu oportunidades que não tive em minha terra natal.

 

Pretende voltar algum dia para morar em São Sepé?

É possível que voltarei um dia, confesso que não penso nisso por agora. Mas seria bom conviver mais perto dos meus. Será? Não sei no momento!

Hoje sou Jornalista em um grupo de comunicação aqui no estado de Mato Grosso, Vale do Arinos, Região Norte, composto de rádio, TV (emissora RECORD), jornal e site onde sou Diretor de Jornalismo e Apresentador de Televisão.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*