Plantio de trigo é retomado no RS após dias de muita chuva

0
199
Foto: divulgação/Emater

 


 

As atividades de implantação de lavouras de trigo foram interrompidas na semana anterior (06 a 10/06), inicialmente pela ocorrência de chuvas e posteriormente pela manutenção de alta umidade nos solos, que impediam as operações. Mas desde o último sábado, 11, essas atividades foram retomadas, com maior intensidade na região a Oeste, onde a semeadura é antecipada em comparação com as outras regiões do Estado.

Segundo o Informativo Conjuntural produzido e divulgado quinta-feira, 15, pelas gerências de Planejamento e Comunicação da Emater/RS-Ascar, vinculada à Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), a estimativa de cultivo de trigo para safra 2022 é de 1.413.763 hectares, representando aumento de 15,04% em relação à safra anterior.

A produtividade estimada é de 2.822 kg/ha.  Os triticultores apontam maior demanda por recursos financeiros em relação ao ano anterior e maior dificuldade em obtê-los em função da oferta reduzida nos agentes bancários.

 

CULTURAS DE VERÃO

Soja – Após alguns dias com chuva e alta umidade, a entrada de uma massa de ar frio e seco, desde o último sábado (11/06), tornou as condições ambientais mais favoráveis à colheita da soja. Com isso, as lavouras remanescentes foram colhidas e, em alguns casos, por causa da inviabilidade econômica, abandonadas. A colheita está encerrada. O produto colhido durante o período apresentou umidade acima da ideal para a realização da trilha e da separação. Não ocorreram danos nos grãos colhidos, mas a umidade elevada diminuiu a eficiência das colheitadeiras e gerou grandes descontos na secagem de soja em empresas cerealistas.Outro fator importante foram os rastros abertos pelo trânsito de maquinário em lavouras com umidade excessiva especialmente na Campanha. A situação vai implicar em novos custos para o nivelamento do terreno com o uso de grade e no atraso das operações de preparo do solo para a implantação de pastagens de inverno, cultivos de cobertura do solo e cereais de inverno.

Milho – Houve a retomada da colheita das lavouras maduras desde o último sábado (11/06), e o índice de colheita alcançou 97% da área cultivada e outros 3% seguem em maturação. Contudo, o produto colhido apresentou umidade acima do ideal. As lavouras implantadas em final de janeiro apresentaram maior proporção de grãos avariados e ardidos. Prosseguiram a adesão de produtores e a realização de reserva de sementes de milho no programa Troca-Troca do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, articulados pelo STR e pelas prefeituras. Algumas cultivares já estão esgotadas.

Milho silagem – Houve avanço significativo no corte de lavouras destinadas à silagem, mesmo naqueles casos que não atingiram o ponto ideal de massa seca, pois a formação de geadas provocou a requeima de folhas, e a manutenção de plantas a campo diminuiria ainda mais a qualidade do material ensilado. Estima-se a finalização da operação de ensilagem de milho no Estado. A produtividade estimada é de 35 t/ha, representando decréscimo de 35% na projeção inicial.

Arroz – A colheita da safra 2021/2022 foi finalizada. Os rizicultores realizaram atividades de manejo da resteva e preparo do solo para a próxima safra, reservando algumas áreas para pastejo animal. Embora os níveis de água das barragens ainda não tenham sido recuperados de forma plena, o que condicionará uma redução significativa da área a ser cultivada na próxima safra serão os preços do produto, considerados baixos, e a elevação dos custos de produção.

Feijão 2ª safra – A colheita foi retomada em ritmo acelerado desde o último sábado, 11, favorecida pela diminuição da umidade e pelo tempo firme, e deverá ser finalizada nos próximos dias. O índice alcança 85% dos cultivos. A expectativa atual de produtividade manteve-se em aproximadamente 1.600 kg/ha.

 

PREVISÃO DO TEMPO

No domingo, 19, o ingresso de uma nova massa de ar seco e frio vai garantir o tempo firme e provocar o declínio acentuado da temperatura, com formação de geadas na maioria das regiões.

Na segunda-feira, 20, o ar frio perderá intensidade, e as temperaturas estarão mais amenas em todo o Estado.

Entre a terça, 21, e quarta-feira, 22, o deslocamento de uma área de baixa pressão vai aumentar a nebulosidade e provocar pancadas de chuva na maioria das regiões.

Os totais de chuva esperados deverão oscilar entre 20 e 50 mm na Fronteira Oeste, Campanha e Zona Sul. No restante do Estado, os volumes são mais elevados e oscilarão entre 70 e 90 mm na maioria dos municípios, mas poderão superar 100 mm em diversas localidades.

 

 

Fonte: Emater