Obino

Os estragos causados pelo temporal na região de Cachoeira do Sul


 

Fotos: divulgação

 

Não foram mais que 10 minutos de chuva e vento em Cachoeira do Sul, na manhã desta terça-feira, 29, mas foi o suficiente para causar transtornos na área central e periferia. O vento forte derrubou árvores por todo o lado, destelhou casas e arrancou coberturas como do pavilhão do Estádio Joaquim Vidal e a de um engenho de arroz no Bairro Aldeia, onde um homem ficou preso em uma sala.

O vendaval arrancou duas árvores na Praça Baltazar de Bem, na frente da Prefeitura, e uma delas caiu por cima de carros, que estavam estacionados na Rua 15 de Novembro. Um deles era do secretário de Obras, Isaías Gabriel Machado. Mais duas danificaram veículos: uma na Rua Riachuelo e outra na Milan Krás, ao lado do Banco do Brasil, no centro.

Em outros pontos da cidade houve queda de árvores como na Rua General Portinho com a Coronel João Leitão, no Bairro Barcelos, no ponto de táxi da Praça José Bonifácio, no centro, e na Rua Horácio Borges, no Bairro Soares. Na pracinha das crianças, na Praça Baltazar de Bem, galhos de uma tipuana caíram sobre os brinquedos.

 

Parque da Romaria

Em toda a região do Parque da Romaria, na Volta da Charqueada, o vento deixou um saldo negativo assim no Centro Esportivo Municipal. Na área do parque, telhados foram arrancadas, galhos de árvores atingiram a rede elétrica e até a cerca de tela foi tirada do lugar.

Tanto a Defesa Civil como a Prefeitura, por meio das secretarias de Meio Ambiente e Obras, contabilizam os estragos. As equipes pela manhã percorreram os pontos críticos e retiraram muito galho de árvore espalhados pelas ruas.

 

Postes

Na área central, um poste em frente à Sociedade Rio Branco, no Bairro Rio Branco, só não foi arrancado do lugar devido aos fios da rede de alta tensão. Já na Rua Antônio Gomes de Campos, no Poço Comprido, dois postes podem cair a qualquer momento. A área está sem energia, conforme os moradores.

 

O vendaval

Na área urbana, o vendaval causou estragos nos seguintes locais:

– Centro Esportivo Municipal

– Cobertura do antigo engenho no Bairro Aldeia

– No Funcap, na zona norte, o vento destelhou casas

– Na Rua Milan Krás, no centro, uma árvore caiu sobre um carro ao lado do Banco do Brasil

– No Parque da Romaria, o vento e a chuva causaram estragos em pavilhões e moradias próximas

– Na Volta da Charqueada, uma árvore caiu sobre a rede elétrica e deixou a região sem energia

– Em frente à Prefeitura duas árvores foram arrancadas da Praça Baltazar de Bem e uma delas caiu sobre o carro do secretário de Obras, Isaías Gabirel

– Galhos de árvores danificaram brinquedos da Pracinha das Crianças, na Praça Baltazar de Bem

– No Estádio Joaquim Vidal, o ventou levou por diante a cobertura do pavilhão. As telhas ficaram espalhadas pela Rua Ramiro Barcelos

– Em frente ao estacionamento da Rede Super, na Avenida Brasil, motos foram levadas pelo vento

 

No Estado

A chuva forte e a ventania que atingiram parte do Rio Grande do Sul desde o início de terça-feira, 29, deixaram pelo menos 220 mil pontos sem energia elétrica. São 150 mil na área de concessão da CEEE e 70 mil na área da RGE.

 

Na região

Na região, as rajadas de vento foram até 100 km/h e a cidade mais castigada foi Santa Maria. Já havia uma previsão de granizo e vendaval o que acabou se concretizando.

 

Rajadas de vento na região

Caçapava do Sul – 95,4 km/h

Santa Maria – 88 km/h

São Gabriel – 69,8 km/h

São Vicente do Sul – 88,9 km/h

 

Fonte: O Correio

 

 

Comments are closed.