Ministro do STF, Luiz Fux, suspende Habeas Corpus e manda prender condenados no caso Kiss

0
91
Foto: Ricardo Giusti/ Correio do Povo


Foto: Ricardo Giusti/Correio do Povo

 

No final da tarde de hoje, o ministro Luiz Fux do Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu o habeas corpus (HC) dos quatro condenados pelo incêndio na boate Kiss, Elissandro Spohr (Kiko) Mauro Hoffmann, Luciano Bonilha e Marcelo de Jesus dos Santos. Os quatro foram condenados na última sexta-feira, no maior júri popular da história do Rio Grande do Sul. Após a leitura da decisão dos jurados e do aumento de pena dado pelo juiz Orlando Faccini Neto, Jader Marques, advogado de Kiko, conseguiu uma liminar no STJRS pedindo habeas corpus preventivo para os quatro réus.

O HC preventivo é usado quando há risco iminente de prisão. Após analisar a liminar que garantiu liberdade dos condenados, Luiz Fux suspendeu hoje o HC com o argumento de que os réus cometeram um ato de “altíssima reprovabilidade social”, na decisão, o ministro também cita que a decisão em conceder o HC aos condenados fez com que a justiça abrisse precedentes para sociedade duvidar dos órgãos públicos, sobretudo, do judiciário.

Os advogados de defesa dos condenados disseram que estão analisando a situação para ver o que pode ser feito. No momento, os quatro serão presos.

Os quatro réus foram condenados por por homicídio simples com dolo eventual.

  • Elissandro Spohr  ex-sócio, foi condenado a 22 anos e seis meses de prisão.
  • Mauro Hoffmann ex-sócio investidor da kiss, 19 anos e seis meses de prisão.
  • Marcelo de Jesus, vocalista da banda: 18 anos de prisão.
  • Luciano Bonilha, auxiliar da banda: 18 anos de prisão.