Me acorde quando o outono acabar – Francisco Melgareco Benine


 

 

Abrir os olhos e ver

O quanto é lindo o amanhecer

Sentir o calor do sol

O vento bater no rosto

Demoramos para aprender.

 

Quando o inverno chegar

O pior há de passar

O frio vai acolher

O cuidado permanecer

A esperança voltar.

 

Dias difíceis nas lembranças vão ficar

Marcas na pele, marcas da guerra

Sono profundo, pesadelo real

Desejo de que uma primavera possa logo chegar.

 

A coragem nossa de cada dia

Guerra invisível, mas não invencível

As flores que lá na frente virão

Trarão liberdade

E com ela a alegria.

 

Acordar com a certeza do viver

Um novo dia virá

A vida vai sempre renascer

Renovar, florescer, brotar

Prosperar, ressurgir, permanecer.

 

Encarar de olhos abertos

Serenidade e coragem

Vencer o medo, aguentar a dor

Evoluir, respirar fundo e então clamar:

Me acorde quando o outono acabar.

 

 

 

Comments are closed.