Obino

Ivan Cezar Ineu Chaves

Explosão da criminalidade e Guarda Municipal

EXPLODIU – a criminalidade em São Sepé atingiu o pico, literalmente chegamos ao LIMITE – não é possível que a comunidade local permaneça de braços cruzados e num silêncio conivente. Estamos registrando ocorrências que antes só conhecíamos pelo noticiário das grandes mídias.

Já não perdemos NADA para os grandes centros. Não escrevo isso só em função de que um colega e amigo ter sido vítima de ASSALTO à mão armada por quadrilha encapuzada que levou seu carro. Na mesma semana dois indivíduos encapuzados invadiram uma residência no centro da cidade para roubar. Na Praça das Mercês foi registrado também assalto à mão armada e hoje acabo de ler que uma pedestre foi assaltada nas proximidades do Ginásio Municipal de Esportes.

A situação é GRAVÍSSIMA e a cidade está na MIRA dos marginais. Não existe força policial suficiente na cidade. Sou testemunha de que diversas entidades de São Sepé já reiteraram INÚMEROS ofícios, telefonemas, enfim esforços junto ao Governo do Estado, ao Comando da BM e à Chefia da Policia Civil e NADA, absolutamente NADA de concreto ocorreu.

Pude ler que o Prefeito Municipal Leocarlos Girardello está em contato com as autoridades da Segurança Pública, num esforço nobre, mas que eu tenho a ousadia de dizer que NÃO VAI DAR EM NADA e SE DER, vai ser POUCA COISA. O desmantelamento das forças de segurança não são exclusivos de São Sepé e discutir suas causas reclamaria espaço para uma pequena enciclopédia. Entendo que nossa cidade necessita discutir imediatamente a criação de uma GUARDA MUNICIPAL, pois já houve a aprovação no Senado do PODER DE POLÍCIA para as Guardas. Os Municípios que já compartilham verbas públicas na saúde, na educação, nos transportes e em outras áreas, devem TAMBÉM RESERVAR RECURSOS ORÇAMENTÁRIOS PARA A SEGURANÇA. Talvez a própria Câmara Municipal possa colaborar diminuindo seus gastos e repassando valores para um Fundo Municipal de Segurança. O FATO é que não podemos mais ficar implorando e mendigando polícia para o Estado.

Eu imagino que introduzir o tema para o debate seja um bom começo, porque a situação é muito séria – muito grave – e a comunidade não tem sido tratada com respeito por TODOS os governos estaduais nas últimas décadas. Nosso CONSEPRO chegou a reformar viaturas e depois essas mesmas viaturas foram enviadas para outras cidades, assim como comprou motocicletas para patrulhamento que NÃO SÃO USADAS POR FALTA DE SOLDADOS, o que causa um desânimo com quem colabora com o próprio CONSEPRO. Essa é a dura realidade.

Uma noite dessas precisei levar minha filha ao Hospital e pude testemunhar algazarras e badernas de desocupados bêbados ou drogados num carro, tudo, ante a ausência total de qualquer tipo de segurança. É óbvio que uma Guarda Municipal pode, SIM, ajudar a proteger pelo menos lugares estratégicos como a Praça Central, o Hospital e a entrada da cidade. Algo precisa ser feito que não fique na dependência sempre arrogante e distante dos governantes estaduais.

E importante dizer que há VERBAS federais disponíveis para a implantação de Guardas Municipais. Recursos podem ser obtidos na União com o envio de projetos e até mesmo com Emendas Parlamentares. Está passando da hora de se enfrentar isso com muito senso de responsabilidade.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*