Falta de acesso aos medidores impediu 109 mil leituras na área de concessão da RGE


 

A falta de acesso aos medidores de energia elétrica impediu que 109.553 leituras fossem feitas pela RGE no primeiro semestre deste ano em toda a sua área de concessão. Os motivos variam: de portão trancado a cão solto. A distribuidora tem atuado, de maneira educativa, na conscientização dos clientes sobre a necessidade do livre acesso ao medidor a fim de garantir a segurança dos colaboradores e a coleta efetiva da leitura do consumo na data prevista.

De acordo com dados da Gerência de Leitura e Entrega da RGE, 11% de todas as ocorrências de impedimento de acesso ocorrem em função de cães soltos nos pátios das residências que impossibilita a verificação da leitura junto ao medidor.

Por mês, cerca de 2,2 mil leituras deixam ser feitas em toda a área de concessão por esse motivo. Além dos cães soltos dentro dos pátios, é comum, também, que muitos perambulem pelas ruas, contribuindo para a insegurança dos profissionais da empresa. Além disso, em cidades atendidas pela RGE, já foram verificados comedouros ou casinhas para animais de rua posicionados próximos a medidores de energia elétrica, bem como de caixa de correspondências.

Segundo o Gerente de Leitura e Entrega da RGE, Fábio Calvo, o objetivo da distribuidora é promover, através da conscientização dos clientes, um convívio harmônico entre os cães e a necessidade de se realizar as leituras do consumo de energia. “Todos sabemos da importância dos cães para as famílias. Nossa preocupação é quanto à segurança das nossas equipes e, também, quanto à leitura correta e na data prevista”, comenta Calvo. O mesmo vale, segundo ele, para grades ou portões trancados que impeçam o acesso aos medidores.

Quando ocorre o impedimento de leitura, a legislação determina que a conta de energia elétrica seja calculada pelo consumo médio dos últimos 12 meses. Quando ocorre o faturamento pela média, uma possível diferença de consumo é ajustada na fatura seguinte em que a leitura do consumo real é capturada, o que pode trazer surpresas nas contas de energia do cliente, principalmente se no período houve alguma mudança no seu hábito de consumo. Após o terceiro mês com registro de impedimento de acesso aos medidores, o cliente pode ter o serviço interrompido, conforme previsto na resolução 414/2010 da ANEEL.

Os municípios que mais tiveram leituras impedidas por falta de acesso foram, por ordem, Caxias do Sul, Gravataí, Passo Fundo, Cachoeirinha, Santa Maria, Santo Ângelo, Canoas, São Leopoldo, Cruz Alta e Santana do Livramento.

 

 

Fonte: RGE

 

 

Comments are closed.