Câmara de Vereadores teve limpeza de pauta antes do recesso

0
25

SAMSUNG CAMERA PICTURES

A última sessão ordinária antes do recesso parlamentar deu, literalmente, o que falar, conforme a assessoria de imprensa do Legislativo. Com a participação do grupo Caami Folclore e Arte Nativa na Tribuna Livre e projetos polêmicos em pauta, o debate se estendeu até por volta das 21h.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

As atividades da noite, que começaram com um minuto de silêncio pela morte do tradicionalista Nico Fagundes, tiveram sequência com o pronunciamento da presidente do Caami, Fátima Wegner. Na oportunidade, ela falou sobre dois assuntos: a realização da etapa local do circuito de rodeios artísticos da 13ª Região Tradicionalista e regional do Enart; bem como acerca da importância da doação de um terreno do município para que o grupo possa construir sua sede própria, matéria que estava incluída na pauta. O pleito ganhou apoio integral dos parlamentares. “O mínimo que o Caami merece é a doação deste terreno”, disse o vereador Eto Vargas (PDT). “Nada mais que a obrigação da municipalidade”, opinou Nassif Schimidt (PDT), reconhecendo a trajetória de trabalho da entidade tradicionalista.

 


Houve limpeza de pauta devido ao recesso da Câmara

Em consideração ao público que acompanhava a votação dos projetos, a ordem do dia foi antecipada. Devido ao recesso Legislativo do mês de julho, os vereadores optaram por fazer a limpeza de pauta, votando inclusive os projetos que ainda estavam em discussão, mas que já haviam passado pelas comissões permanentes da Casa.

A pedido de Kéio Santos (SDD), o projeto de lei n°49, que dá denominação de José Luiz Brondani a uma rua da Vila Block, não foi apreciado, pois conforme o parlamentar, a família do nome homenageado gostaria de acompanhar a possível aprovação da matéria em outra ocasião. Já o projeto de lei n° 45, do Executivo Municipal, que reestrutura o Conselho Tutelar, foi retirado pelo líder do governo, Gilvane Moreira (PP), para que seja melhor discutido com a categoria.

A rejeição do projeto de lei 001/2015, que propunha a reestruturação da forma de pagamento do magistério, foi comemorada com os aplausos dos representantes da categoria que acompanhavam a sessão plenária. Temendo perdas salariais, a classe pediu que os vereadores reprovassem a matéria. O líder do governo preferiu se abster da votação sob a justificativa de que gostaria que as propostas tivessem sido debatidas em audiência pública. Outro momento celebrado com aplausos foi a aprovação do projeto de lei n°50/2015, autorizando a doação do terreno ao grupo Caami.

Durante o mês de julho não haverá sessão ordinária, conforme previsão do regimento interno. No entanto, se houver necessidade, os parlamentares podem se reunir em caráter extraordinário.

 

 

Fonte e fotos: A.I. Câmara de Vereadores

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here