Zizi Machado

Viajar é sonhar acordado

Olá prezados leitores!

Estive fora por alguns dias, aproveitando um breve período de férias, e meu contato com São Sepé era através da internet, onde infelizmente me deparei com diversas notícias na área policial relacionadas à nossa cidade, assunto que, aliás, tem sido muito bem abordado pela nossa imprensa local, no intuito de colaborar na mobilização das autoridades para a prevenção e combate à criminalidade.

Mas na contramão dos acontecimentos, escolhi falar aqui sobre coisas boas, como viajar, por exemplo.

Quem nunca sonhou em conhecer algum lugar diferente, vivenciar coisas novas, não é mesmo? Pois então, se você é uma dessas pessoas, saiba que, hoje, está mais fácil do que se imagina. E, por experiência própria, digo: viajar a passeio deixou de ser algo superficial, fútil, e se tornou um grande coadjuvante na promoção da saúde. E como tenho feito aqui neste espaço, é mais um tema que abordo trazendo vivências pessoais, o que acaba me dando mais subsídios para que o leitor possa ter uma ideia mais clara do assunto.

Sempre achei interessante a ideia de viajar, conhecer lugares diferentes, culturas diversas, entre outras coisas. Mas, como qualquer pessoa que começa uma nova etapa da vida, objetivava “guardar dinheiro” para adquirir casa, carro, entre outras coisas materiais que qualquer ser humano ambiciona. Deixava a ideia da viagem para depois, e o tempo ia passando.

Então um dia meu esposo, que também sempre gostou de viajar, me disse: O que acha de investirmos em uma viagem? Confesso que na hora fiquei meio resistente, mas depois resolvi pesquisar e, então, percebi que opções para todos os gostos e bolsos, não faltavam. E, mesmo ainda pouco motivada, resolvi topar o fechamento do pacote.

Pois bem, foi a melhor escolha que fiz na vida. De lá para cá, sempre que possível, viajamos durante nossas férias, sem a necessidade de extravagâncias e futilidades. Apenas pelo prazer de conhecer lugares diferentes, pessoas, paisagens exuberantes, culturas diversas. Algo para “desligar” de vez da rotina diária. E também não precisa ir muito longe para desfrutar desses encantos. Nosso Estado, assim como todos os outros do Brasil, tem belezas naturais, lugares e paisagens para encher os olhos.

A cada viagem que fizemos, temos ainda mais certeza que valeu a pena. Porque a gente vê tanta coisa ruim acontecendo, pessoas passando por problemas sérios de saúde, muitas ainda em tenra idade, tendo que enfrentar sérias dificuldades que, no mínimo, nos faz parar para pensar: afinal, será que vale a pena ficar guardando dinheiro para adquirir mais e mais se não sabemos sequer como será o dia de amanhã?Porque bens materiais ficam além de nossa existência aqui na Terra, muitas vezes para outros disputarem, enquanto que aquilo que vemos e vivemos ninguém pode nos tirar ou apagar; fora que são cientificamente comprovados os benefícios do passeio à saúde, principalmente quando se vai a lugares que proporcionam um contato direto com a natureza.

Que fique bem claro, não estou dizendo aqui que não é importante ter projetos de vida que envolva bens materiais, como a casa própria, por exemplo, que é tão importante; longe disso. Minha intenção é apenas despertá-los para uma reflexão com relação às nossas prioridades na vida, e o que realmente vale a pena para cada um, em determinados momentos da vida. Claro que tudo isso que digo não é via de regra, até porque é apenas uma opinião, uma sugestão. Talvez algumas pessoas digam que não gostam de sair de casa, de viajar, o que é muito pessoal, claro, por isso respeito.

Mas àqueles que têm vontade, recomendo: priorize seu bem-estar e comprovarás os benefícios, especialmente para quem tem um dia-a-dia corrido como é o caso da maioria, seja com atividades em casa ou fora dela.

Outro dia li uma frase muito interessante que dizia: “viajar é sonhar acordado”. Foi uma das coisas mais verdadeiras que já li. E como todos nós somos feito de sonhos, por que não experimentar?

Um fraterno abraço à todos.

 

Zizi Machado é graduada em Comunicação Social / Jornalismo pelo Centro Universitário Franciscano, e pós-graduada em Comunicação e Projetos de Mídia pela mesma instituição. Trabalha como jornalista, apresentadora/locutora e repórter na Rádio Fundação Cotrisel de São Sepé – RS.