Vigilância em Saúde do Estado confirma 271 casos de Toxoplasmose em Santa Maria


 

O Governo do Estado e a Prefeitura divulgaram, na tarde desta sexta-feira, 11, mais um Boletim de Investigação de Surto de Toxoplasmose em Santa Maria. Conforme os dados levantados até o momento, a cidade já contabiliza 847 casos notificados, sendo 605 suspeitos. Desses, 271 já foram confirmados – sendo 24 gestantes. Dos casos suspeitos, 230 permanecem em investigação (confira o boletim completo clicando aqui).

Também foram divulgados dois outros boletins referentes ao atendimento de pacientes com os sintomas ou com a doença, um do Hospital Universitário de Santa Maria (Husm) e, outro, da Casa 13 de Maio. No Husm, cujas as consultas ocorrem duas vezes na semana (nas terças e sextas-feiras), já foram realizados 84 atendimentos (confira aqui) até o dia 08 de maio.

Já na Casa 13 de Maio, foram realizados, até esta sexta-feira, 85 atendimentos no Ambulatório de Pacientes com Síndrome Febril. Desses, 38 casos são de toxoplasmose aguda. Esses pacientes foram encaminhados para atendimento no Husm.

 

LAUDOS SOBRE A ÁGUA SÃO CONCLUÍDOS

Outro resultado importante divulgado nesta sexta-feira, é com relação aos laudos de análise da água, realizados pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). São dois documentos, que apresentam resultados referentes a coletas de reservatórios de residências, de processo hidropônico e da Estação de Tratamento de Água da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan).

Nos laudos, a conclusão é que as amostras de água foram consideradas negativas quanto à presença do DNA de Toxoplasma gondii (confira os documentos clicando aqui e neste link). No entanto, conforme o superintendente da Vigilância em Saúde do Município, Alexandre Streb, os dados se referem apenas a um período específico. Assim, eles são considerados dados preliminares e não totalmente conclusivos, já que é necessário, também, que eles sejam avaliados em conjunto com as demais investigações epidemiológicas que estão sendo feitas pelo Município.

Streb explica que novas análises deverão ser feitas, e que é mantida a orientação de que a comunidade deve seguir bebendo água mineral ou fervida, evite alimentos crus e malpassados e lave bem alimentos crus, como legumes e verduras.

 

 

Fonte: A.I. Prefeitura de Santa Maria