Vídeo: comoção de amigos e familiares somado a tensão quase termina em tumulto na BR-392

11036082_344432562429551_7126786741647423756_n

O clima de comoção entre familiares e amigos de Cléber Ouriques, 39 anos, morto no início da manhã deste sábado, 28, na BR-392 por pouco não deu lugar a uma confusão generalizada. Abalados emocionalmente com o fato e com os protestos dos últimos dias, um grupo de caminhoneiros e amigos da vítima por pouco não entrou em confronto com a Polícia Federal que controlava a situação no local da morte.

Segundo os policias, a orientação é para controlar o trânsito no trecho e manter as pessoas do lado contrário da pista onde até por volta das 9h30min o corpo da vítima aguardava a chegada do Instituto Geral de Perícias. Em vários momentos os federais indicaram pontos que não poderiam ser ocupados pelos populares. Por volta das 9h40min, o clima esquentou e uma forte discussão entre os envolvidos interditou o trânsito na via. O fato foi controlado por populares que acalmaram os ânimos. Acuado pelo grupo, um policial chegou a pegar uma arma de bala de borracha, que não foi usada.

 

Motorista pode ter sido notificado por lombada eletrônica

O condutor do veículo ainda não havia sido localizado nem se apresentado à Polícia até às 10h da manhã. As circunstâncias do fato ainda serão investigadas. Há suspeita de que em razão da velocidade que o caminhoneiro passou pelo bloqueio no acesso à são sepé, o veículo possa ter sido notificado pela lombada eletrônica existente no acesso à cidade. Testemunhas disseram ter avistado um caminhão com as características na localidade de Pantano. A Polícia Federal, entretanto, ainda não confirma a localização do veículo. Também não se sabe como ocorreu o fato ou quais eventos foram registrados anteriormente ao incidente. Por isso, a Polícia ainda não trata o caso como homicídio e vai precisar ouvir os motivos que o caminhoneiro deve alegar.