Vereadores de São Sepé repercutem paralisação dos caminhoneiros


 

Os discursos da sessão ordinária de terça-feira, 29, da Câmara de Vereadores de São Sepé, foram pautados pela paralisação nacional dos caminhoneiros, que teve início no dia 21 de maio. Preocupados com a situação no país, mas em especial no município, os vereadores repercutiram os reflexos da greve com o desabastecimento de itens básicos de consumo como alimentos, a falta de combustível nos postos de gasolina e as perdas na agricultura familiar, que atingiu os pequenos e médios produtores.

Segundo o vereador Gilvane Moreira (Progressistas), no interior de São Sepé foram registrados casos de perda de até 500 litros de leite que foram jogados fora. “As perdas são irreversíveis e atingem várias famílias e gera impacto negativo, temos o descarte de animais mortos, produtos jogados fora e isso é caso de emergência sanitária”, afirmou Gilvane.

Nesta semana, a prefeitura chegou a decretar estado de calamidade pública devido aos prejuízos causados pela paralisação, que prejudicou a situação da prestação de serviços a população e as perdas a exemplo do que foi relatado pelo vereador Gilvane.

Já o vereador Tavinho Gazen (PDT) destacou a corrupção que atingiu a Petrobras e o movimentos dos caminhoneiros. “Nós sabemos que é uma empresa que tem capacidade de tornar o Brasil autossustentável em petróleo. Mas foi alvo da ação de homens públicos e de mega empresários de mal comportamento, pessoas que não tiveram a decência de respeitar a maior empresa brasileira, de qualquer forma parabéns aos caminhoneiros que fizeram as pessoas parar e pensar os rumos que nosso país deve tomar “, afirmou o vereador.

Lauro Ouriques (PPS), que além de vereador é motorista de caminhão, agradeceu a comunidade de São Sepé pelo apoio que tem prestado nos últimos dias com relação a paralisação da categoria. “A gente faz o que pode, vamos esperar que os políticos olhem para o nosso lado, são mais de dois milhões de caminhoneiros, famílias grandes, está faltando coisas, mas o pessoal não queria que faltassem, é triste ver essa situação”, disse Lauro.

O presidente da Câmara, Janir Machado (Progressistas), acompanhou de perto a mobilização dos caminhoneiros, no Posto Cotrisel, às margens da BR-392. “Parabéns a essa classe, devemos apoiar, eles tentaram lutar por nós”, disse Janir.

O apoio a classe também foi manifestado pelo vereador Eto Vargas (Progressistas). “Admiramos essa categoria sofrida, que muitas vezes não tem como comprar o pneu, pagar a prestação do caminhão, mas tem que sustentar a sua família, é uma dificuldade muito grande ser caminhoneiro no Brasil”, afirmou Eto.

Na sexta-feira, 25, uma ordem der serviço expedida pelo presidente da Câmara, orientou que todos os funcionários se fizessem presente na manifestação dos caminhoneiros em São Sepé, para prestar apoio a mobilização da classe.

 

 

Fonte: Câmara de São Sepé