Tribunal de Justiça manda soltar condenada por morte do professor Érico Ribeiro

cabeçalho_anuncio


Foto: reprodução/O Correio

Foto: reprodução/O Correio

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul mandou soltar a estudante de Direito Juliana Colbeich da Silva, de 38 anos, do Presídio Estadual de Cachoeira do Sul. Condenada a 20 anos na condição de mandante do assassinato do ex-marido, o professor Érico da Luz Ribeiro de São Sepé, ela estava presa desde maio, quando saiu decreto de prisão em razão de manutenção da condenação em recurso de 2º grau, com base em entendimento do Supremo Tribunal Federal.

A liminar que resultou na soltura foi concedida pelo desembargador Sérgio Miguel Achutti Blattes, da 3ª Câmara Criminal do TJ. Blattes já havia determinado a soltura da mãe de Juliana, Ana Lira Colbeich da Silva, e de João Ismael Leão Colbeich, que também chegaram a ser presos pelo assassinato do professor. No entendimento do magistrado, não cabe manter o trio preso porque não há como aplicar o entendimento do STF ao caso, por não ser de ampla repercussão.

Os três acusados foram condenados em júris populares ocorridos em 2010 pelo assassinato do professor Érico, crime ocorrido no início de 2002. Ana Lira também pegou 20 anos de cadeia, enquanto João Ismael pegou 18 anos e meio de prisão.

 

 

Fonte: O Correio

 

Guilherme Motta