Sepeenses visitam Santuário de Aparecida


 

Fotos: divulgação

No dia 24 de julho, um grupo de sepeenses, formado por 44 pessoas, partiu para São Paulo, sendo o destino o Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, na cidade de Aparecida, considerado um dos dez maiores destinos de peregrinação de católicos do mundo.

Acompanhados do Pároco Gerson Gonçalves, a primeira visita foi ao Santuário de Madre Paulina, em Nova Trento- Santa Catarina. Na ocasião, o grupo conheceu um pouco do local e assistiu a uma missa, que teve a participação do padre sepeense.

Além do Santuário de Aparecida, também foi possível conhecer o Museu de Arte Sacra de São Paulo, construído ainda no século 18, que possui uma das principais exposições voltadas à arte sacra. Lá, o grupo, acompanhado de um guia, teve a oportunidade de saber mais da história que envolve todo o acervo, desde a construção do museu, com paredes ainda feitas de barro; obras do artista mineiro Aleijadinho e sobre o Mosteiro da Luz, um convento de recolhimento das monjas enclausuradas. Após a visita ao museu, um passeio pela cidade de São Paulo.

Outro destino de fé foi o Santuário de Frei Galvão, em Guaratinguetá, assim como a Igreja de Santo Antônio, com estilo barroco, onde o santo brasileiro foi batizado e rezou a primeira missa. O roteiro também envolveu a Casa de Frei Galvão e o Memorial.

No sábado, durante a missa das 18h, no Santuário de Aparecida, o Pároco Gerson Gonçalves participou da celebração, assim como inúmeros párocos do Brasil. Segundo ele, foi um momento de muita emoção.

“Foi algo incrível, assim como a celebração em Madre Paulina, justamente por ver que a igreja continua sendo esta casa de acolhida. Celebrar a eucaristia em uma igreja em que a gente não é responsável é algo muito bacana e ainda em santuários, onde as pessoas vem buscar e tu tens a chance de dar a benção, de consagrar, isso para qualquer padre é algo muito significativo. Para mim não foi diferente, me senti muito valorizado por Deus por estar ali e presenciar todos estes momentos”.

De acordo com o religioso, todo o movimento de romeiros, a visita a santuários, é sempre um momento importante de mergulhar no mais profundo do interior de cada um e abastecer a fé.

Para Cláudia Posser, que organizou a viagem, a experiência foi gratificante. “Foi muito bom organizar e participar junto desta peregrinação, pois a emoção de cada um, a fé, nos encheu de alegria. Foi lindo receber cada abraço e as pessoas emocionadas agradecendo a oportunidade de estar lá. Sem falar no companheirismo do grupo que foi fantástico”.

Nas redes sociais, os depoimentos são de agradecimento, pois todos são unânimes em dizer que voltaram com muito mais conhecimento, novas amizades e fortalecidos na fé.

 

 

Texto: Adriana Aires