Saiba “Por Onde Anda” o sepeense Victor Meireles Aires


 

A participação nesta semana no quadro “Por Onde Anda, Sepeense?” é do sepeense Victor Meireles Aires.

“O Sepeense” lembra que este espaço vale também para aqueles e aquelas que não nasceram em São Sepé, mas que de uma forma ou de outra possuem ligações com o município e se sentem sepeenses de coração.


 

Trajetória

Em 1982 nasci em São Sepé, onde morei até meados de 2000, conclui meu 2º grau no CESS em 1999 e posteriormente me mudei para Santa Maria a fim de estudar Engenharia Civil na UFSM porém, durante meus anos de curso sempre retornava a São Sepé aos finais de semana para visitar familiares e amigos.

Após formado fui trabalhar, em gestão de obras, na região centro-oeste do Brasil e acabei retornando em definitivo para o RS somente em 2011, mesmo ano em que me casei. No princípio eu e minha esposa moramos em Santa Rosa e posteriormente nos mudamos para a cidade de Feliz, onde residimos desde então.

Em termos profissionais, durante meus 11 anos de profissão, tive a oportunidade de gerenciar obras em todas as regiões do Brasil e, atualmente divido meu tempo como Gerente de Projetos na empresa Fives Gerenciamento e Assessoria, onde sou sócio, também atuo professor na FTec Faculdades e palestrante de cursos de extensão ligados à área de gestão, o que me proporcionou a oportunidade de escrever um livro, juntamente com meu sócio, livro este ligado a área de gestão, com lançamento previsto para outubro deste ano. Também tenho buscado meu aperfeiçoamento constante, em 2016 conclui meu MBA em Gerenciamento de Projetos pela FGV e atualmente sou graduando de Tecnologia em Processos Gerenciais pelo IFRS.

 

O que lhe motivou a sair de São Sepé?

Fui motivado basicamente pela busca de crescimento profissional, visto que em 2006, quando me formei, as oportunidades de trabalho em engenharia eram escassas na cidade.

 

Quantas vezes ao ano vem a São Sepé?

Costumamos ir à São Sepé visitar meus familiares e amigos em torno de 3 a 4 vezes ao ano, principalmente em feriados e datas comemorativas. Gostaria de ir mais vezes, entretanto nem sempre é fácil ajustar a agenda.

 

Pretende ainda voltar algum dia, para morar?

Por hora, não está em meus planos, principalmente porque tenho me dedicado a atividade de docente o que, no momento, se torna inviável em São Sepé, porém nunca se sabe, o amanhã a Deus pertence.

 

O que acha de nossa cidade?

Gosto bastante de São Sepé, a cidade, juntamente com meus amigos e família que ainda aí residem foram responsáveis por minha formação e por eu ser quem sou hoje, infelizmente o desenvolvimento profissional me impede de retornar, entretanto as boas lembranças sempre permanecem na memória e, quando a saudade bate, é só pegar estrada.