Saiba “Por Onde Anda” o sepeense Carlos Roberto Santos de Oliveira

A participação nesta semana no quadro “Por Onde Anda, Sepeense?” é do sepeense Carlos Roberto Santos de Oliveira.

“O Sepeense” lembra que este espaço vale também para aqueles e aquelas que não nasceram em São Sepé, mas que de uma forma ou de outra possuem ligações com o município e se sentem sepeenses de coração.

 


coronel


Trajetória

Saí de São Sepé em busca de melhores dias. Meu nome é Carlos Roberto Santos de Oliveira, filho de Antonio Augusto e Carolina. Nascido no Hospital Santo Antônio, como a maioria dos conterrâneos.

Estudei no Clemenciano Barnasque, Colégio Estadual Tiaraju e Colégio Estadual São Sepé. Procurei sempre aproveitar ao máximo os ensinamentos de meus pais, professores e pessoas mais idosas, baseando-me sempre nos princípios da ética, da moral e dos bons costumes. Sou formado em Administração de Empresas e pós-graduado em Gestão Ambiental.

Gostava muito de futebol (e gosto) tendo jogado em vários times de São Sepé, dentre eles, Penharol, Cotrisel, Lageado, Ipiranga e outros. Também joguei nas equipes do Aliado e Medianeira, quando morava em Santa Maria.

 

O que lhe motivou a sair de São Sepé?

A razão maior de ter deixado de morar em São Sepé, mas sem nunca ter cortado o cordão umbilical, foi a prestação do serviço militar. Fiz NPOR no 7° BIB, em 1978, depois fui servir na 13° CIA DAM, de 1979 a 1987 e por último no 29° BIB.

Carlos Roberto Santos de Oliveira (2)Comecei a carreira no Exército Brasileiro como aspirante e sai como Primeiro Tenente. Mas como Oficial Temporário, não podia passar mais de dez anos, antes de completar nove, tratei de pensar em meu futuro.
Antes de falar sobre o próximo emprego, faço questão de falar quem é minha esposa. Trata-se de Helenice Iop, com a qual tivemos dois filhos, Gustavo e Daniele. Sou casado há 34 anos e estas pessoas são a razão maior de minha existência.

No ano de 1988 tomei um rumo que jamais imaginava, quando prestei o Concurso Público na Polícia Militar do Estado de Rondônia, onde estou até hoje. Logo após o curso, fui trabalhar em Vilhena, Cerejeiras e Vilhena. Em 1997, tinha que fazer o Curso de Aperfeiçoamento de Oficias, mudando para Porto Velho, a capital. Já exerci várias funções na PMRO, destacando-se as seguintes: Ajudante Geral, Subcomandante do 1° BPM, Diretor do Colégio Tiradentes, Diretor de Ensino, Chefe do Centro de Comunicação Social e Corregedor.

Atuo também na área social, como membro do LIONS Clube Internacional, onde já assumi o cargo de Governador do Distrito LA-1, abrangendo os estados do Acre, Amazonas, Rondônia e Roraima. Minha posse como governador foi em Toronto, Canadá.

No fim de carreira, estou com mais de 28 anos de polícia, cheguei ao último posto da PM, ou seja, CORONEL PM, com mais de uma dezena de medalhas, muito orgulhoso, com toda modéstia, de minha carreira e certo do DEVER CUMPRIDO.

 

Costuma vir a São Sepé?

Todos os anos vou a São Sepé, pois tenho familiares e amigos que não devo esquecer. Pretendo voltar para Santa Maria, mas sempre que puder estarei na minha querida terrinha de Sepé Tiaraju.