Obino

Professores fazem manifestação em frente à 8ª CRE em Santa Maria


 

Fotos: Maiquel Rosauro

O 2º Núcleo do CPERS/Sindicato promoveu uma manifestação, em frente à 8ª Coordenadoria Regional de Educação (8ª CRE), em Santa Maria, na manhã desta segunda-feira, 25. A entidade entregou um documento reivindicando melhorias em diversas instituições de ensino.

O ato público contou com carro de som e educadores portando bandeiras do CPERS. Os manifestantes se revezaram nos discursos relatando as situações enfrentadas nas escolas.

O professor Narendranath Costa, por exemplo, chamou atenção para os problemas da rede de energia elétrica na Escola Coronel Pillar.

“Tem ar-condicionado novinho instalado na escola, mas se ligar cai a rede. É um problema que se arrasta faz tempo”, afirma Costa.

A agente educacional Dgenne Ribeiro destacou as necessidades das instituições da Quarta Colônia. “Quero pedir, por favor, um olhar especial para as escolas do interior, que muitas vezes ficam se virando com festas para tentar repor um dinheiro que o Estado não encaminha para as escolas”, alega Dgenne.

O diretor do 2º Núcleo do CPERS, Rafael Torres, protocolou na 8ª CRE um pedido de providências ao governo do Estado. Ele espera que a situação seja resolvida nas próximas semanas. “Precisamos de valorização, estrutura e condições mínimas para que a gente possa transformar a educação e não sonegar dos nossos alunos aquilo que é direito deles. Continuaremos vigilantes e que em 30 dias, pelo menos, a realidade possa estar alterada para melhor”, argumenta Torres.

O coordenador da 8ª CRE, José Luis Viera Eggers, acompanhou o ato e recebeu às reivindicações do Núcleo. “Amanhã (terça) tenho uma agenda com o secretário estadual de Educação e irei entregar as demandas em mãos”, afirma Eggers.

O Dia da Pressão, como foi chamado o ato público desta segunda, também ocorreu em outros Núcleos do CPERS. O objetivo do Sindicato é pressionar o governo do Estado para que garanta melhorias nas escolas.

 

Escolas que relataram problemas ao 2º Núcleo do CPERS

São Martinho da Serra

– Lélia Ribeiro: Duas turmas com ameaça de fechamento.

 

Mata

– Florismundo: Sem orientador educacional.

 

Silveira Martins

– Bom Conselho: Uma turma com risco de fechamento; sem supervisão; sem merendeira; 3º, 4º e 5º anos enturmados; secretaria com professor somente 20h; e sem orientador educacional.

 

Nova Palma

– Ana Lobler: Funcionamento da escola em dois turnos e desenturmação.

 

Faxinal do Soturno

– São Domingos Sávio: Multiseriação.

 

Santa Maria

– Walter Jobim: Ficou cinco meses sem secretária e, no momento, encontra-se sem funcionário de RH e sem orientador educacional.

– Padre Caetano: Uma turma 5º ano com 39 alunos.

– Edna May: Enturmadas um 2º e 3º ano.

– Marieta D’Ambrósio: Fechou turmas no turno da manhã, professores colocados à disposição, fechou uma turma à tarde, o EJA somente tem uma turma.

– Dom Antônio Reis: Enturmados um 3º e 4º ano; possibilidade de fechar o EJA.

– Cícero Barreto: 3º ano do Ensino Médio enturmado.

– Érico Veríssimo: 5º e 6º anos enturmados

– Olavo Bilac: Enturmação de 6º ano e do EJA.

– Santa Marta: Enturmação do EJA; necessitam de mais uma turma de 1º ano fundamental; e anos finais com 36 alunos em sala.

 

 

Fonte: 2º Núcleo CPERS/Sindicato