Obino

Os perigos das Fake News na era da informação


 

A internet surgiu durante a Guerra Fria, criada para fins militares, pois seria uma das formas de os norte-americanos manterem contato caso ocorresse algum imprevisto com os meios de comunicação convencionais. E hoje o mundo tem acesso a essa tecnologia e as redes sociais são um dos principais veículos de informação, mas nem tudo o que ali circula é verdadeiro.

As redes sociais encurtam distâncias e oferecem acesso rápido, não importando de que parte do mundo vêm as notícias. Essa facilidade de comunicação tem oportunizado a disseminação de inverdades que prejudicam a população, deixando rastros de desconfiança e tensão ao invés de agregar conteúdos na vida de quem busca se atualizar. Na área da saúde, por exemplo, não são raras as informações falsas sobre epidemias ou a propaganda de soluções “mágicas” para determinadas doenças.

Como as mídias sociais são formadoras de opinião, há internautas que divulgam boatos sobre a vida tanto de pessoas anônimas quanto de pessoas públicas, atingindo a honra, a moral e a dignidade dos cidadãos expostos. Agora, período que antecede as eleições, os eleitores devem ficar atentos porque, certamente, muitas informações falsas surgirão com o objetivo de denegrir a imagem de candidatos adversários. Por isso, os usuários devem filtrar os conteúdos para verificar a veracidade dos fatos publicados.

Portanto, o Brasil deveria seguir o modelo da França, criando uma lei que dá aos juízes o poder de retirar sites e contas das redes sociais que contenham notícias falsas. E ainda deveria haver mais investimento em tecnologia por parte do Estado para fiscalizar e identificar quem comete crimes virtuais. Assim, os usuários voltariam a ter confiança nas informações dadas pela internet.

 

 

Tema da redação: As Fake News

Redação elaborada pelo grupo de alunos que participam do projeto “Produção Textual”, do Colégio Estadual São Sepé (CESS), orientado pela professora Norma.