Nova operação da Lava Jato tem prisões em pelo menos quatro estados e no Distrito Federal


A Polícia Federal cumpre mais de 40 mandados de prisão ligados a uma nova fase da Operação Lava Jato. Ao menos quatro estados, além do Distrito Federal, tem prisões desde o começo da manhã desta quinta-feira, 3, dentre eles, o Rio Grande do Sul.

Em Porto Alegre os mandados de prisão preventiva acontecem em bairros como Bela Vista e Vila Conceição, estes de alto padrão. Os alvos são clientes de doleiros que atuavam com remessa ilegal e lavagem de dinheiro no exterior, de acordo com o G1.

As prisões também acontecem no Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e no Distrito Federal. Também há ações da operação no Paraguai e Uruguai.

Um dos mandados é contra Antônio Claudio Albernaz Cordeiro, engenheiro agrônomo que já havia sido preso também em uma fase da operação Lava jato deflagrada em março de 2016, que recebeu o nome de Xepa. Em agosto do ano passado a Polícia Federal já havia cumprido mandados de busca e apreensão em escritórios e residências dos investigados, por suspeitas de desvio de R$ 30 milhões em obras de rodovias que acontecia por meio de grandes empreiteiras ligadas a entidades associativas, que pagavam contribuições sindicais que eram calculadas sobre valor de obras.

Os doleiros, que firmaram as delações com a polícia, foram presos fora do país e trazidos de volta para o Brasil. Eles operavam fora do país para o ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral.

Os alvos no RS são o doleiro Antônio Claudio Albernaz Cordeiro, Paulo Aramis Albernaz Cordeiro, Athos Roberto Albernaz Cordeiro, Suzana Marcon e Carmen Regina Albernaz Cordeiro.

 

 

* com informações G1/RS