MP faz operação em Bagé e afasta dois secretários municipais


 

Foto: MP / Divulgação

 

Uma operação da Procuradoria de Prefeitos e do Ministério Público do Rio Grande do Sul acontece desde o início da manhã desta terça-feira, 9, em Bagé. O alvo é um possível esquema em licitações e superfaturamento em contratos da coleta de lixo na cidade.

Dois secretários municipais – de Meio Ambiente e de Finanças – foram afastados do cargo por pelo menos 180 dias. A ação também suspendeu as atividades de três empresas e os contratos que elas mantêm com a prefeitura. Um dos vínculos é referente à coleta de resíduos sólidos e, para não prejudicar o serviço na cidade, foi dado o prazo de 30 dias para o encerramento das atividades. Nesse período, uma nova empresa será contratada para realizar o trabalho.

A operação, que tem o apoio do Tribunal de Contas do Estado, da Brigada Militar e Polícia Civil, cumpre ainda mandados de busca e apreensão em dez residências, nas sedes das duas empresas investigadas e em quatro repartições municipais. Investigações As investigações iniciaram a partir do projeto O MP Está de Olho, do Centro de Apoio de Proteção do Patrimônio Público, sobre as contratações de recolhimento de lixo. Foram identificados indícios de irregularidades nas contratações da prefeitura de Bagé realizadas a partir de 2017 por meio de dispensas de licitação, fracionamentos e pagamentos em duplicidade, sem prévio empenho ou mesmo sem contrato, para beneficiar as empresas de três suspeitos.

Há suspeita de superfaturamento tanto para este serviço quanto para a copeiragem, higienização e desinfecção de postos de saúde, cujas atividades eram realizadas por outra empresa suspeita.Há suspeita de superfaturamento tanto para este serviço quanto para a copeiragem, higienização e desinfecção de postos de saúde, cujas atividades eram realizadas por outra empresa suspeita.

 

 

Fonte: Portal R7