Obino

Morte de Danúbio Figueiredo Gazen é lembrada na Câmara


 

O sepeense Danúbio Figueiredo Gazen morreu na sexta-feira, 20, aos 72 anos em Caçapava do Sul, vítima de um infarto fulminante. A morte do produtor rural foi lembrado pelos vereadores, durante a sessão ordinária de terça-feira, 24. Danúbio era amigo pessoal do ex-presidente do regime militar, João Baptista Figueiredo e por conta da aproximação dos dois, em 1984, São Sepé recebeu a visita de um presidente do Brasil.

O vereador Tavinho Gazen (PDT), recordou este momento histórico para a cidade. “Esse homem só veio a São Sepé porque aqui residia um parente longe dele, chamado Danúbio Figueiredo Gazen, um sujeito bonachão, conversa franca, sorriso amplo, muito otimista, às vezes brincava até demais, para ele tudo era possível, quando ele dizia que ia trazer o general Figueiredo, as pessoas brincavam, ele inclusive fazia churrasco na Granja do Torto, passava dias lá em Brasília”, contou Tavinho, relembrando a amizade que o sepeense mantinha com o então presidente, que ajudou a trazer um dos maiores aportes de recursos federais para o município.

“A parte nova do hospital foi concluída, o ginásio de esportes foi terminado com recursos e toda a parte de churrasqueiras e salão do Índio Sepé CTG, também com aportes da visita do presidente general Figueiredo”, destacou o vereador.

Em São Sepé, Danúbio foi secretário municipal de Obras, na gestão do prefeito José Maria Picada, sendo responsável por obras importantes como o aterro do campo do Pamade e a abertura da estrada do Cerrito do Ouro. Por duas oportunidades foi candidato a vereador, uma aqui no município, na época pelo PDS e em 2016 em Caçapava do Sul, pelo PDT. Em ambas eleições não conseguiu se eleger. “Foi uma pessoa que conquistou duas coisas importantes para o ser humano, o respeito e a amizade, ele estava muito feliz ultimamente”, disse Tavinho.

O vereador Eto Vargas (PP) também falou sobre a morte do sepeense. “Danúbio foi incansáveis vezes a Brasília e por conta dessa amizade com o general Figueiredo nosso município conseguiu diversos recursos na época, ele foi um guerreiro e temos sempre que lembrar destas pessoas que fizeram o bom trabalho pela nossa comunidade”, destacou o vereador.

 


Tradicionalista também foi lembrado

Na tarde de terça-feira, 24, o meio tradicionalista de São Sepé foi pego de surpresa com a morte repentina de Alceu dos Santos, fundador e ex-patrão do CTG Ronda Crioula. A vereadora Zilca Camargo (PDT) lembrou que recentemente eles estiveram juntos em uma festividade no CTG.

“Ele era uma pessoa muito empenhada, que muito trabalhou pelo Ronda, naquele dia ele que nos mostrava que tava muito empenhado em melhorar as condições do local, nos mostrou um piso que lá reformou, as cadeiras com as iniciais do ctg”, recordou a vereadora.

Já o vereador Gilvane Moreira (PP) falou sobre a atuação de Alceu no sindicalismo rural. “Ele estava sempre presente nas reuniões sindicais, foi participativo ao longo dos anos, é uma grande perda para nossa comunidade”, lamentou o vereador.

Ao final de sessão ordinária, foi feito um minuto de silêncio em homenagem aos falecidos.

 

 

Fonte: Câmara de São Sepé