Médico se emociona ao ter gesto reconhecido por família de bebê


Fotos: Bruno Garcia

 

Reportagem: Bruno Garcia

 

A história de um bebê de apenas dois meses de idade que esteve entre a vida e a morte teve um final feliz em São Sepé. O casal Dieison Silva Serpa e Girlaine Moura Fernandes, que mora em Camaquã, foi com a filha Yasmin Fernandes Serpa visitar familiares em Vila Nova do Sul há alguns dias. Até aí, tudo bem. No entanto, na última sexta-feira, 11, a menina ficou doente.

A situação obrigou os pais a procurarem a unidade de saúde do município vilanovense. Devido a um quadro de pneumonia que ela apresentava, a bebê foi transferida para o Hospital Santo Antônio, em São Sepé.

A menina deu entrada no hospital de São Sepé e ficou dois dias internada até que o quadro começou a se agravar. Foi então que o Dr. Marcelo Neves, que atende no plantão do hospital, começou a acompanhar o caso. A bebê estava com pneumonia e, como o hospital não tinha recurso, era necessário que ela fosse transferida para uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). Nesse instante começou a luta para conseguir uma vaga para a pequena Yasmin.”Ela estava perdendo frequência cardíaca. O quadro dela era bem grave”, conta o médico.

Como não havia leito disponível no Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM), os pais tiveram que contatar um advogado e ingressar com um pedido na justiça.

O advogado Cristiano Chiappetta, que naquele final de semana estava em São Sepé em visita a família, conta que estava voltando chegando em casa por volta das 3h30min da madrugada de domingo, 13, quando foi abordado pelos familiares da bebê próximo à Estação Rodoviária, no Centro da cidade. “Eles me abordaram na rua, colocaram a situação, disseram que a menina estava morrendo e que precisavam de um advogado”, recorda. Diante da gravidade e da relevância da situação ele e a esposa, Jéssica da Silva Neto, abriram o escritório que fica em frente ao ponto de táxi da rodoviária em plena madrugada e deram início à uma petição com pedido de urgência para que Yasmin conseguisse um leito hospitalar.

Às 7h da manhã de domingo o pedido foi deferido pela juíza substituta da Comarca de São Sepé, Paula Machado Abero Ferraz. “Aproveitamos para agradecer imensamente a magistrada e ao Vagno Pires que estava no plantão do Fórum. Ele teve boa vontade, atenção, foi muito humano”, salienta o advogado. Após dois dias em São Sepé, Yasmin foi transferida para o HUSM. No domingo pela manhã, a menina deu entrada na UTI pediátrica do hospital universitário.

A tia da menina, Mariza Moura Fernandes, que mora em São Sepé, conta que desde o primeiro momento o Dr. Marcelo foi incansável em buscar um leito para Yasmin. “Quando conseguimos transferência para Santa Maria o Dr. Marcelo foi segurando a Yasmin nos braços, dentro da ambulância, até Santa Maria. Ele não desistiu e pegou o caso até o fim. Não temos palavras para agradecer”, conta Mariza.

Após ficar quatro dias internada, Yasmin recebeu alta do HUSM na quinta-feira, 17. Nesta sexta-feira, 18, os familiares foram até a Unidade Básica de Saúde do Bairro Lôndero para agradecer. Isso porque o médico que ajudou a salvar a menina trabalha no local há cerca de um ano.

Os familiares do bebê foram na sala do médico retribuir o gesto de carinho, atenção e cuidado que foram prestados quando a menina estava doente. Ao ser perguntado pela reportagem de O Sepeense sobre o que sentia ao ver a menina bem, Dr. Marcelo se emocionou e, com lágrimas de felicidade, disse que não tem palavras para descrever o que vivenciou. “É muito gratificante ver ela bem”, disse o clínico geral que também atende no plantão do Hospital Santo Antônio e nos municípios de Restinga Sêca e Formigueiro.

Além dos pais e da tia, a visita de agradecimento ao médico teve ainda a presença da avó, Eliane Moura Fernandes, e do casal que mora em Vila Nova do Sul, Kellen Moura Fernandes e Alessandro Severo Oliveira, além de Kerubim Fernandes dos Santos.

Os familiares também agradeceram a dedicação do quadro de enfermagem do hospital de São Sepé e todas as pessoas que contribuíram nos momentos de aflição vividos por eles.

Passado o susto, a família só tem motivos para comemorar. Após deixar a unidade do Bairro Lôndero, a pequena Yasmin retornou com os pais para Vila Nova do Sul.