Mais respeito e menos intolerância


 

Discriminação, intolerância e ignorância. São esses os motivos que levam indivíduos a praticarem bullying. As redes sociais também são usadas para a prática desse mal conhecido como cyberbullying tão frequente em nossa sociedade em que agressores usufruem do anonimato para difamar outros usuários.

Muitas são as causas que levam opressores a realizarem atos de intolerância tanto pela opção sexual quanto religiosa. Além disso, muitas vítimas são discriminadas pela condição financeira, pela etnia, pela aparência física ou pela regionalidade, isto é, por serem nordestinos, gaúchos ou de outras regiões em que há diferença, principalmente, no linguajar. E ainda, a violência online é comum em nossa sociedade, disseminando mentiras que atingem a moral das vítimas, expondo a vida íntima ou inverdades.

Essas agressões geram sofrimento às vítimas, muitas vezes, atingindo até mesmo familiares. As humilhações podem levar a transtornos psicológicos, a isolamento e até ao suicídio. Estudantes que passam por essas situações, geralmente, têm queda no rendimento escolar ou deixam de frequentar a escola ou são excluídos de grupos ou de brincadeiras. Além disso, o acúmulo dessas discriminações pode tornar agressivo o indivíduo oprimido.

Portanto, para que seja evitada a prática do bullying, os pais dos agressores devem educar seus filhos a fim de que respeitem as diferenças e a vida particular de outros indivíduos. Tanto as vítimas quanto os agressores precisam de orientação psicológica. A escola também deve reforçar esse processo através de palestras com especialistas. Só assim haverá mais respeito e tolerância em nossa sociedade.

 

 

Redação elaborada pelo grupo de alunos que participam do projeto “ Produção Textual”, do Colégio Estadual São Sepé (CESS), orientado pela professora Norma.