Obino

Granol vai retomar produção de biodiesel em Cachoeira do Sul


Foto: arquivo/reprodução

A unidade da Granol em Cachoeira do Sul retoma ainda neste mês o esmagamento de soja para produção de biodiesel na planta industrial da Volta da Charqueada. A empresa participou e garantiu a oferta de volumes do biocombustível em leilão realizado na semana passada pela Agência Nacional do Petróleo (ANP), o que viabilizará pelos próximos meses a retomada a pleno das atividades do complexo industrial no município.

Em entrevista à Rádio Fandango, o gerente administrativo Talis Roberto Treichel explicou que toda a produção será destinada a refinarias situadas em estados do Sul e do Sudeste do Brasil. Treichel evita falar em números, mas ressaltou que a produção deve começar já em abril e as primeiras remessas de biodiesel serão despachadas a partir do início de maio. “A estimativa de venda ficou um pouco abaixo do que esperávamos, mas ainda assim a economia de Cachoeira do Sul já começará a dar sinais de reação”, comemorou o gerente, em entrevista ao Programa Rádio Repórter.

A Petrobras deve homologar e divulgar oficialmente o resultado do leilão nos próximos dias. Pelas novas regras da ANP, pelo menos 10% da composição do óleo diesel deve ter a adição de biodiesel desde março de 2018. A mistura ao diesel fóssil teve início em 2004, em caráter experimental e, entre 2005 e 2007, no teor de 2%. Ao longo dos anos, o aumento gradativo impulsionou o mercado de biodiesel e a Granol entrou na esteira desta nova realidade, mas a crise de 2016 e do ano passado levou a empresa a frear as operações em Cachoeira, o que levou à demissão de quase 200 trabalhadores.

Na época, a Granol chegou a adotar lay-off, que consistiu basicamente na suspensão temporária das operações e dos contratos de trabalho. Desde então, as operações estavam limitadas basicamente à produção de glicerina e farelo de soja. A direção explicou que a retomada da produção de biocombustível só iria ocorrer no momento em que o mercado do óleo diesel apresentasse sinais de reação, o que parece estar ocorrendo neste primeiro semestre de 2018. “Nosso desejo é que a produção de biodiesel agora se perpetue. Tivemos de tomar decisões duras, muito difíceis, de economia, mas estamos retomando as contratações”, destaca Talis Treichel.

A planta industrial de Cachoeira do Sul tem capacidade instalada de produzir 900 metros cúbicos de biodiesel por dia.

 

Granol já começa a contratar e receber currículos

Com a retomada da produção de biodiesel, a Granol também já começou a fazer novas contratações e a receber currículos. Neste primeiro momento, a empresa dá prioridade a antigos funcionários demitidos por causa da interrupção na produção, mas também aceita novos colaboradores.

A direção ainda não sabe quantos colaboradores serão contratados e recontratados. O número de vagas será ajustado de acordo com a demanda de trabalho e o volume das operações de produção. “Com o passar dos dias, quem mora ou transita pela Volta da Charqueada vai notar um aumento no trânsito de caminhões. Estamos retomando a produção”, destacou Talis Treichel.

 

 

Fonte: O Correio