Coluna: Obrigado, professor!


 

* Igor Trindade de Souza – estudante do 9º semestre de Direito da FAPAS

Em nossas vidas, principalmente nos períodos iniciais, houve aquelas pessoas que deixaram suas marcas e que serão lembradas de maneira clara até o último momento. Isso porque aplicam a sua divina habilidade de conduzir pessoas que recém começaram a ver a vida, a enxergar um futuro, transformando de modo irreversível a nossa maneira de olhar o mundo. É simplesmente fascinante.


Essas pessoas responsáveis por deixar marcas são chamadas de professores, ou então, docentes, não fazendo lembrar a palavra doce, à toa. A missão dos professores sempre foi árdua, pois querer ensinar quem não quer aprender, seguir firme com dedicação, paciência, persistência, buscando sempre cativar e inspirar alunos que acham que não precisam daquele acervo de informação em alguns casos, é extremamente cansativo. A sociedade infelizmente explora o professores, juntamente com o Estado. Além do professor não receber uma contraprestação digna, adequada e justa pela profissão que exerce atividades tão relevante na sociedade, a mesma ainda confunde a real missão de uma professor na expectativa dele formar por completo um cidadão, sem sequer levar em consideração que as crianças ficam de quatro a cinco horas, no máximo, na presença de um professor e dezenove ao lado da família, amigos e outros fatores determinantes, confundindo educação com escolarização.


Esses anjos da docência tem o vício de ensinar, por isso, ensinam até mesmo quando não tem a obrigação. As manifestação e a greve dos professores estaduais do Rio Grande do Sul é um exemplo perfeito disso, pois as reivindicações foram realizadas exclusivamente sob as perspectivas legais e morais, apenas ecoando uma voz de desespero de quem muito fala em sala de aula e raramente é ouvida fora dela. Ser professor é estar condenado a esperança de dias melhores, pois se educa um ser humano no presente, para o futuro. É como cultivar sementes.


Portanto, apesar do recurso da escrita não se fazer suficiente para descrever o real reconhecimento que merecem, quero agradecer e parabenizar a todos os professores que vestem essa camisa árdua. Obrigado, professor! Por nunca desistir de seus alunos, por entender as dificuldades e obstáculos encontrados nesta caminhada do conhecimento, por fazerem com que os alunos se sentissem pessoas de valor e, principalmente, obrigado por nos convencer de que éramos melhores do que suspeitávamos.