Autoridades e membros das polícias pressionam Secretário de Segurança para mais investimentos no interior do RS


“A situação na capital e na região metropolitana de Porto Alegre é um corpo na UTI e só quem pode salvar a segurança pública é o interior do Estado, que merece receber mais investimentos e efetivo”.

Foi com esta frase que o Coronel Worney Mendonça, do Comando Regional da Brigada Militar, se dirigiu ao Secretário de Segurança Pública do Rio Grande do Sul, Cezar Schirmer, durante reunião em São Sepé nesta sexta-feira, 30. O fato gerador do encontro que reuniu autoridades e membros das polícias da região foi o episódio em que uma quadrilha explodiu parte de duas agências bancárias no município sepeense.

O tema da segurança nas cidades do interior foi amplamente debatido durante a reunião ocorrida no gabinete da Prefeitura. Na maioria dos discursos, as autoridades reiteraram o pedido para que o governo atenda, ao menos, uma reposição de efetivo das polícias civil e militar. Além de lideranças, delegados e policiais militares relataram à Schirmer os principais problemas que tem enfrentado. O coronel da BM ainda frisou o pedido ao membro do governo, já que Schirmer conhece a realidade da região central. “O senhor é a nossa única salvação”, disse ao solicitar uma readequação nos investimentos da área.

Schirmer disse que a situação dramática na segurança pública não é uma exclusividade do RS, e ainda destacou que assim que soube do fato ocorrido na última semana teve como prioridade que os responsáveis fossem identificados. “Presto solidariedade à comunidade de São Sepé, tanto pela proximidade que temos como pelo fato lamentável ocorrido. Nós vamos dar uma atenção especial ao município neste momento”, sublinhou.

Para o secretário, a necessidade de investimento na segurança foi percebida tardiamente. “Os governos perceberam que era preciso um investimento pesado na segurança, mas ocasionalmente isto aconteceu quando as finanças não nos deixam muitas alternativas”, salientou.

Apesar da defasagem, Schirmer garantiu que nos próximos meses devem ser anunciadas novidades na área. Ele também pontuou que a questão do efetivo é apenas um dos elementos de um problema complexo. “É preciso que se crie um ambiente favorável. Há crianças crescendo em um cenário de criminalidade, é preciso trabalhar nas áreas de prevenção”.

O secretário ainda lembrou do recente convênio assinado com o executivo que deve possibilitar a instalação de sistema de videomonitoramento em São Sepé.