Autor de chacina em Pinhal Grande é julgado nesta terça-feira


Começou na manhã desta terça-feira no Salão do Júri do Fórum de Júlio de Castilhos o julgamento de Ariosto da Rosa, 43 anos, que confessou ter matado quatro pessoas em série no município de Pinhal Grande, em novembro de 2016. Ele é acusado de estuprar e assassinar a enteada Bianca Moraes de Salles, 16 anos, e de matar outras três pessoas logo em seguida – Iran Gonçalves dos Santos, 10 anos, Alex Cardoso Leal, 17, e Afonso Gonçalves, 60. As vítimas foram mortas a tiros na localidade de Rincão dos Basílios, zona rural da cidade.

O réu vai a julgamento pelos crimes de estupro e homicídio qualificado. No caso de Bianca, o crime foi cometido com quatro qualificadoras: motivo torpe, uso de recurso que dificultou a defesa da vítima, ocultação de outro crime (o estupro da adolescente) e feminicídio. Em relação a Iran e a Alex, por motivo torpe e uso de recurso que dificultou a defesa da vítima. E sobre Afonso, por motivo fútil, com uso de recurso que dificultou a defesa da vítima.

Somadas as penas, Ariosto pode ser condenado a 80 anos de prisão. Ele está recolhido na Penitenciária Estadual de Santa Maria (Pesm), desde 20 de dezembro de 2016, depois de ser capturado em um matagal, em Dona Francisca, 22 dias após as mortes.

O Jornal Diário de Santa Maria faz cobertura ao vivo do júri. Acompanhe clicando aqui.

 

Fonte: Diário de Santa Maria