Audiência pública discutiu cobrança de taxas no Cemitério de São Sepé


 

A ideia de cobrar taxas para manutenção do Cemitério de São Sepé foi pauta de uma audiência pública, na noite de segunda-feira, 12, no auditório do Centro Cultural. Mesmo com a baixa adesão de populares, o assunto foi discutido entre os vereadores que estavam presentes, Zilca Camargo (PDT), Lauro Ouriques (PPS), Paulo Nunes (PSB), Elcio Teixeira (PMDB), Maria Silveira (PP) e o autor da proposta, Renato Rosso (PP).

De acordo com Rosso, a ideia de cobrar um valor para limpeza, segurança e reforma do cemitério, surgiu através de uma demanda da população. “Foram muitos pedidos que foram feitos para mim e que me deixou surpreso, é uma carência e as pessoas querem a melhoria daquele local”, afirmou Rosso.

O prefeito Léo Girardello, que também participou da reunião, destacou que mesmo com dificuldades, o executivo tem feito sua parte prestando serviços e investimentos para a conservação do cemitério. “Os recursos são poucos, não temos disponibilidade de emendas parlamentares para este fim então trabalhamos para que o local seja conservado”, avaliou o prefeito.

Já para a vereadora Zilca Camargo, a taxa é desnecessária. “Já pagamos tantos impostos, não acho justo acumular mais taxas”, afirmou Zilca. Para o vereador Paulo Nunes, o assunto precisa ser bastante discutido com a população. “Precisamos debater e encontrar alternativas, como talvez uma campanha de adesão para as pessoas pagarem”, disse o vereador que também falou sobre a falta de acessibilidade do local.

Estima-se que hoje o cemitério municipal tenha quase mil capelas e uma média de 1.700 túmulos. Um dos participantes da audiência, Vilnei Mello, disse que ser for aprovado futuramente a cobrança de taxas será preciso adequar as normas. “Temos que ter um conselho gestor para administrar essas cobranças e arrecadação de dinheiro”, afirmou Mello que foi acompanhado pelo ex-vereador Adão Matos. “Não temos fiscalização em muitas áreas do município, o cemitério precisará ter um fiscalizador para que a manutenção ocorra”, avaliou Matos.

Durante a reunião, o vereador Renato Rosso afirmou que em breve serão colocadas duas câmeras de segurança para reforçar a segurança do local. “As pessoas cobram uma solução para este problema e se o entendimento for esse, das taxas, será feito um processo para seja implantado”, finalizou Rosso.